Muitos parabéns! Elvas já tem uma Casa de História dos Judeus de Elvas

Visita do Presidente da AAPI ao local durante as obras.

Visão parcial do espaço interno da Casa da História dos Judeus de Elvas.

Foi inaugurada, no passado dia 2 de Setembro, a Casa da História dos Judeus de Évora, acto de grande justiça e de grande impacto no potencial turístico e cultural do Município de Elvas. Por este facto saudamos e damos efusivamente os parabéns à Câmara Municipal de Elvas, na pessoa do seu Presidente, Dr. Nuno Mocinha, assim como a todos quantos participaram neste projecto e tornaram possível a recuperação do espaço para que nele seja instalada a Casa da História dos Judeus de Elvas, nomeadamente, o dr. Rui Jesuíno e a drª. Tânia Rijo.

Descerramento da Lápide Inaugural da Casa da História dos Judeus de Elvas. Da esquerda para a direita, o Presidente da Câmara Municipal de Elvas, Dr. Nuno Mocinha, o Presidente da Comunidade Israelita de Lisboa, dr. Gabriel Steinhardt e o Presidente da Associação de Amizade Portugal/Israel, Arqº António Caria Mendes.

A inauguração do espaço revestiu-se de grande dignidade e foi acompanhada por um grande número de elvenses. Estimamos que, no mínimo, tenham estado presentes 250 munícipes.

A lápide comemorativa foi descerrada, pelo Presidente do Município, dr. Nuno Mocinha, que convidou o Presidente da Comunidade Israelita de Lisboa e o Presidente da Associação de Amizade Portugal/Israel, para que o acompanhassem naquele acto.

Queremos, ainda, felicitar a Câmara de Elvas por ter atribuído um nome tão expressivo ao espaço agora inaugurado: Casa da História dos Judeus de Elvas. Numa atitude histórica louvável, a Autarquia resolveu adoptar esta designação porque, embora o espaço em questão possa ter sido uma das ou a Sinagoga de Elvas, no período medieval, nada existe que, de forma taxativa, o prove. Assim, ao contrário do que acontece em muitos lugares onde se pretendem ver Sinagogas em edifícios com cantareiras  embutidas na parede, o Município pretendeu, num exemplo de honestidade histórica inaudito, não designar como Sinagoga um espaço cuja funcionalidade no final da Idade Média é, por agora, desconhecido. A AAPI- Associação de Amizade Portugal/Israel não pode deixar de louvar e apoiar com todo o empenho esta atitude que honra, de sobremaneira, o Município.

Azulejos da fachada da Casa da História dos Judeus de Elvas. Foi frequente, após o Decreto de Muge de D. Manuel, transformar muitas das Sinagogas então existentes em açougues, como forma de humilhação dos judeus. O cavaleiro do painel superior será, porventura, D. Sancho II que atribuiu o Primeiro Foral a Elvas.

Após a inauguração do espaço, o edifício irá manter-se encerrado durante o período de instalação do núcleo museológico, após o que se tornará um local de visita obrigatória para todos quantos se interessem pela história de Portugal e dos Judeus na Península Ibérica.

Centro de Interpretação da Cultura Sefardita inaugurado em Bragança

In: http://www.pportodosmuseus.pt/2017/02/23/centro-de-interpretacao-da-cultura-sefardita-inaugurado-em-braganca/

O Centro de Interpretação da Cultura Sefardita do Nordeste Transmontano (CICSNT) foi inaugurado na passada segunda-feira no âmbito das comemorações dos 553 anos de Bragança Cidade.

O centro  está integrado na Rede de Judiarias de Portugal-Rotas de Sefarad. No que toca à cultura judaica,Bragança vai ainda dispor de um Centro de Documentação e Memorial, co-financiado pela Direção Regional de Cultura do Centro, pela Rede de Judiarias e pelo Programa EEA Grans da Embaixada da Noruega, cujas obras devem terminar em abril e a inauguração está prevista para junho

Jorge Martins – O Judaísmo em Belmonte

Com os meus mais sinceros pedidos de desculpas a tod@s @s noss@ querid@s Sóci@s e Amig@s, bem como ao autor, o Amigo Professor Doutor Jorge Martins assim como ao Professor Doutor Albérico Afonso por só agora dar publicidade ao lançamento deste livro sobre “O judaísmo em Belmonte”, mas tal ficou a dever-se ao factro de ter estado internado no hospital e, consequentemente, todo o trabalho de difusão cultural ter ficado muito atrasado.

Mais um vez, apresento a tod@s o meu pedido de desculpa pelo surgimento deste facto tão desagradável 

CENTRO DE INTERPRETAÇÃO DA CULTURA SEFARDITA INAUGURADO NO DIA DE ANIVERSÁRIO DE BRAGANÇA

Jornalista: Olga Telo Cordeiro
Fuente: brigantia.pt
In: http://esefarad.com/?mkt_hm=28&p=76857&utm_source=email_marketing&utm_admin=22882&utm_medium=email&utm_campaign=Boletin_Se

O aniversário de Bragança, ontem, foi o dia escolhido para inaugurar o Centro de Interpretação da Cultura Sefardita do Nordeste Transmontano. Situado na rua Abílio Beça, num prédio contíguo ao Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, partilha com este espaço o mesmo arquitecto: Eduardo Souto de Moura. A unidade museológica pretende dar a conhecer às actuais gerações a forte presença judaica na região.

A autarquia considerou “importante preservar a memória e conhecer a história, fazendo com que se pudesse fazer uma homenagem a todos os judeus que estiveram no distrito de Bragança”, sublinhou na cerimónia o autarca de Bragança, Hernâni Dias. Continue a ler (Continue reading)→

Conferência questiona: Existem Bnei Anussim em Goa, Índia? – Shavei Israel/Bnei Anussim

In: http://casadosanussim.shavei.org/2016/12/22/conferencia-questiona-existem-bnei-anussim-em-goa-india/#more-28136

A história dos Bnei Anussim em Goa, na região sul da Índia, é geralmente ofuscada pelas maiores comunidades judaicas na Índia: os Benei Israel, os Cochin e os Baghdadi (para não mencionar os Bnei Menashe, com os quais a Shavei Israel tem trabalhado de perto).

Uma conferência na semana passada preocupou-se corrigir isso. Continue a ler (Continue reading)→

O dia em que os judeus foram expulsos de Portugal

Por: Maria José Oliveira
In: http://observador.pt/especiais/o-dia-em-que-os-judeus-foram-expulsos-de-portugal/

Faz 520 anos que D. Manuel I assinou o édito de expulsão dos judeus, uma condição imposta por Espanha para que casasse com D. Isabel. Milhares tiveram de escolher entre a expulsão ou a conversão.

Em 1492 um decreto dos reis católicos, D. Isabel e D. Fernando, rompeu com uma longa tradição de tolerância religiosa em Castela, Leão e Portugal. O édito foi publicado a 31 de Março: os judeus de Castela e de Aragão eram obrigados a converterem-se ao cristianismo, sob pena de serem expulsos de Espanha num prazo máximo de quatro meses. Continue a ler (Continue reading)→

Conferência questiona: Existem Bnei Anussim em Goa, Índia?

In: http://casadosanussim.shavei.org/2016/12/22/conferencia-questiona-existem-bnei-anussim-em-goa-india/

A história dos Bnei Anussim em Goa, na região sul da Índia, é geralmente ofuscada pelas maiores comunidades judaicas na Índia: os Benei Israel, os Cochin e os Baghdadi (para não mencionar os Bnei Menashe, com os quais a Shavei Israel tem trabalhado de perto).

Uma conferência na semana passada preocupou-se corrigir isso. Continue a ler (Continue reading)→

What is Hidden is Never Lost: Rapa-Dreidels, Portugal and the Marranos

por  – December 19, 2016
In: https://www.ou.org/holidays/chanukah/hidden-never-lost-rapa-dreidels-portugal-marranos/?utm_source=SilverpopMailing&utm_medium=email&utm_campaign=Parshat%20Vayeishev%202016%20test%205&utm_content=&spMailingID=14000273&spUserID=MTYyMDc4MDk1MjI4S0&spJobID=883602735&spReportId=ODgzNjAyNzM1S0

Communal memories do not vanish.  They may become tenuous, fragile as wisps, as fragments, as shards of dreams.  But they remain.  Though the atrocities of the Inquisition sought to banish our memories, our faith, and our identity with cruelties unthinkable even in our own modern era of unspeakable cruelty we continued to remember.  And the evidence of that remembering appears in the strangest places and sometimes in the most curious of ways, like a flower breaking through the asphalt of a dreary and oft-driven roadway. Continue a ler (Continue reading)→

Rotas de Sefarad com sete intervenções concluídas até final do ano

Fonte: Diário Digital / Lusa
In: http://www.pportodosmuseus.pt/2016/12/20/rotas-de-sefarad-com-sete-intervencoes-concluidas-ate-final-do-ano/

A Direção Regional de Cultura do Centro (DRCC) disse hoje que até ao final de dezembro serão concluídas as sete intervenções previstas para o ano 2016 no âmbito do Projeto Rotas de Sefarad – Valorização da Identidade Judaica Portuguesa no Diálogo Interculturas. Continue a ler (Continue reading)→

Inácio Steinhardt – O último judeu dos Açores

Clique na foto para ler o estudo muito interessante de Inácio Steinhardt sobre a presença judaica nos Açores. Inácio Steinhardt é, tradutor, jornalista, ensaísta e estudioso do judaísmo em Portugal. É, também, autor do livro Raízes dos Judeus em Portugal, entre outros.

acores_cemiterio_hebreus

Cemitério dos Hebreus, Angra do Heroísmo – (Wikipedia)

Primeira Conferência sobre os Judeus de Goa – Universidade Hebraica de Jerusalém

goa

Clique na imagem para conhecer o programa…

A Universidade Hebraica de Jerusalém vai organizar nos dias 18 e 19 de Dezembro de 2016, em Jerusalém, a Primeira Conferência sobre os Judeus de Goa. Ao clicar na imagem acima acederá ao programa (ainda provisório) da Conferência e, ainda, poderá conhecer as biografias dos oradores assim como tomar conhecimento dos resumos das respectivas dissertações.

Todos quantos estiverem interessados em participar deverão entrar em contacto com a organização do encontro através de:

http://jewsofgoa.wixsite.com/jewsofgoa

Empresário compra Torá de 400 anos descoberta na Covilhã

Fonte: DN
PATRIMÓNIO & MUSEUS 03/10/2016
In: http://www.pportodosmuseus.pt/2016/10/03/empresario-compra-tora-de-400-anos-descoberta-na-covilha/


 

toraUm empresário da Covilhã disse à agência Lusa que comprou a Torá (documento judaico) com mais de 400 anos, cuja descoberta foi recentemente divulgada pela autarquia local.

“Fizemos ontem [na quarta-feira] a escritura no cartório”, afirmou em declarações à Lusa o empresário José Correia, que é proprietário de um conhecido restaurante na cidade.
Continue a ler (Continue reading)→

LA TRAGEDIA DE LOS MARRANOS

SEPTIEMBRE 25, 2016
Por Moshe Vainroj
Fuente: Por Israel de Dori Lustron
In: http://esefarad.com/?mkt_hm=13&p=73405&utm_source=email_marketing&utm_admin=22882&utm_medium=email&utm_campaign=Boletin_Se


ced

Fachada y entrada principal de la Sinagoga “Shaarei Jaim”

La conversión forzada no estaba acompañada de ninguna convicción religiosa. De la noche a la mañana los judíos se vieron obligados a cambiar sus nombres por otro que tuviera una clara resonancia cristiana (los  judíos locales tomaron apellidos prefiriendo nombres de los árboles y animales, aunque también se tomaron apellidos patronímicos- terminados en es- y referidos a las profesiones) y  la obligación permanente de demostrar que se llevaban costumbres cristianas. Continue a ler (Continue reading)→

Museu Judaico de Lisboa quer ser “um espaço de memória”, “pela positiva”

INÊS BOAVENTURA – 21/09/2016 – 18:37
In: https://www.publico.pt/local/noticia/museu-judaico-de-lisboa-quer-ser-um-espaco-de-memoria-pela-positiva-1744782


O novo equipamento cultural da Câmara de Lisboa deve abrir daqui a um ano, em Alfama.

1075046

O presidente da Comunidade Israelita de Lisboa acredita que o museu vem “preencher uma lacuna que se fazia sentir há muitos anos” DR

O Museu Judaico de Lisboa, cuja abertura de portas está prevista para daqui a um ano, quer ser “um espaço de memória” e “um museu pela positiva”. A ideia, explica Ester Mucznik, é que nele se conte “a história dos quase mil anos da presença judaica em Portugal” sem esquecer as suas “sombras” mas destacando aquilo que de bom os judeus trouxeram ao país. Continue a ler (Continue reading)→

Foi assinado hoje o Protocolo para a criação do Museu Judaico de Lisboa

Foi assinado, esta manhã, no Largo de São Miguel, em Alfama, o Protocolo entre a Câmara Municipal de Lisboa, a Comunidade Israelita de Lisboa, a Fundação Lina e Patrick Drahi, a Associação de Turismo de Lisboa e a Rede de Judiarias de Portugal, o qual permitirá a criação do Museu Judaico de Lisboa. A AAPI- Associação de Amizade Portugal-Israel congratula-se com o facto e felicita todos os intervenientes neste projecto, agradecendo,  de antemão, o empenho de todos quantos nele participaram e  permitiram a sua realização.

img_20160921_115630 Continue a ler (Continue reading)→

Assinatura do Protocolo para a criação do Museu Judaico de Lisboa

sao-miguel

O Largo de São Miguel em Alfama

Vai ser assinado hoje, dia 21 de Setembro de 2016, pelas 11.30 horas, no Largo de São Miguel em Alfama (Lisboa), o Protocolo para a criação do Museu Judaico de Lisboa. Os acordos serão assinados entre a Câmara Municipal de Lisboa, a Comunidade Israelita de Lisboa, a Fundação Lina e Patrick Drahi, a Associação de Turismo de Lisboa e a Rede de Judiarias de Portugal. A Direcção da AAPI – Associação de Amizade Portugal-Israel congratula-se com o facto e deseja as maiores felicidades para o cumprimento de uma vasta laguna de conhecimento da História e dos costumes portugueses, sefarditas e judeus em Portugal assim como em todas as regiões do mundo onde se instalaram cristãos-novos portugueses, fugidos da sua terra pelas diversas perseguições, nomeadamente a religiosa, de que foram alvo ao longo dos tempos.

Empreiteiro descobre Torá com 400 anos ao demolir casa devoluta

ROSA RAMOS – Hoje às 00:40, atualizado às 00:59
In: http://www.jn.pt/local/noticias/castelo-branco/covilha/interior/empreiteiro-descobre-tora-com-400-anos-ao-demolir-casa-devoluta-5390032.html


a

A Torá esteve guardada durante dez anos – Foto: DR

Construtor guardou pergaminho durante 10 anos embrulhado em lençóis.

A Câmara da Covilhã vai revelar esta quinta-feira, numa conferência de imprensa, a descoberta de um Torá (pergaminho judaico) com cerca de 400 anos e escrito em hebraico. O achado esteve dez anos embrulhado num lençol em casa de um construtor civil que, quando o encontrou no meio do entulho de uma casa devoluta, não sabia do que se tratava.


Continue a ler (Continue reading)→

La marca del Odio

por: Moshe Vainroj – Septiembre 8, 2016
Fuente: Porisrael.org
In: http://porisrael.org/2016/09/08/la-marca-del-odio/?utm_source=wysija&utm_medium=email&utm_campaign=daily_digest


g_holocaust_lisbEn febrero de 1391, año del gran “pogrom” de Sevilla, el rey Juan I° de Portugal y a instancias de la iglesia católica, obliga por real decreto a los judíos portugueses a añadir a sus vestimentas una señal roja que les identifique y diferencie de los ciudadanos cristianos, consistente en una estrella de seis puntas que tendría  que estar ubicada sobre la parte alta del tórax a efectos de fuera  rápidamente distinguible, siguiendo las consejas olvidadas del Concilio de Letrán. Este dato es sobremanera importante, ya que los nazis utilizaron al misma técnica para la separación de la población judía de la sociedad alemana durante el Holocausto del Siglo XX.

La historia de los judíos en Portugal cambia radicalmente en el año 1492 con el edicto de expulsión de España que los reyes católicos Fernando de Aragón e Isabel de Castilla impusieron.

portagem

Ponte da Portagem (Marvão), por onde entraram em Portugal muitos dos Judeus fugidos da Espanha dos Reis Católicos, Fernando e Isabel

De los 250 mil judíos que salieron de España para la fecha marcada, en julio de 1492, aproximadamente 80 mil optaron por refugiarse en Portugal. A esta  altura de los hechos, uno de cada cuatro portugueses, era judío.  Por la puerta de Portagem de Marvao, se contabilizaron más de 15.000 personas que utilizaron esta vía  para dirigirse hacia un país que se veía más seguro . Continue a ler (Continue reading)→

Announcing “A Nação Hebrea: A Relational Prosopographic Database of the Portuguese Jewish Nation 1500-1800

FILED UNDER ACADEMIA, CRYPTO-JEWS, PORTUGAL, SEFARDIM, SPAIN, WESTERN SEPHARDIM BY MICHAEL WAAS ON AUGUST 18, 2016
In: http://www.avotaynuonline.com/2016/08/announcing-a-nacao-hebrea-a-relational-prosopographic-database-of-the-portuguese-jewish-nation-1500-1800/

a

Execuções no Terreiro do Paço, em Lisboa, de condenados “relaxados ao braço secular” pela Inquisição portuguesa

In today’s world, interest in Sephardic Jewry is greater than ever before, particularly with the recent laws in Portugal and Spain enacting the right for descendants of Iberian Jews to reclaim nationality that had been revoked by the Expulsion. The Portuguese Jewish Nation, the “reluctant cosmopolitans” of the Age of Colonialism and Imperialism, transcended empires, and linguistic, religious, national, and ethnic boundaries. Born in the enforced baptisms by King Manuel of Portugal in 1497, they considered themselves (both practicing Jews and enforced Catholics) to be “Homens da Naçao“, Men of the Portuguese Hebrew Nation, (Portuguese A Nação Hebrea). This notion of a separate nation is the starting point of our project. Continue a ler (Continue reading)→

Judeus da Guarda | E outros cristãos-novos das Beiras (Séculos XVI-XVIII)

João Manuel Braz, Academia de Letras e Artes, 2016, 302 pp. – 25.00€

Judeus-da-Guarda

Os estudos sobre a inquisição espanhola e portuguesa, sobre o seu Tribunal do Santo Ofício, bem como sobre a perseguição levada a cabo, durante vários séculos, contra a comunidade Sefardita em diáspora são, podemos dizê-lo, razoavelmente suficientes para permitir um quadro de compreensão histórica e jurídica de tais instituições, das suas políticas, e respectivos procedimentos. Sobre as suas vítimas, todavia, temos uma compreensão bem mais restrita, uma vez que os trabalhos que na especialidade tratam de processados pelo referido tribunal e inquisições o fazem de uma perspectiva selectiva, quer por que se busca uma personalidade concreta, distinta, que foi objecto da brutal repressão pelas suas ideias e procedimentos, quer por que se revela uma procura estritamente regional ou limitada no tempo.

Continue a ler (Continue reading)→

Paulo Mendes Pinto – “… mas o chão já cheirava a sangue”

1324846777713

Há uns anos atrás, escrevi, com a Susana Mateus, um pequeno livro sobre o massacre dos judeus em 1506. Passado um tempo de sabático afastamento ao tema duro da morte, regressei através d’O último cabalista de Lisboa de Richard Zimler. Adorei o texto do escritor luso-americano e revivi toda a minha pesquisa feita anos antes, todo o frenesim de escrever o livro, como se de uma “missão” se tratasse.

Continue a ler (Continue reading)→

31 de Março de 1821: As Cortes Gerais Constituintes extinguem o Tribunal do Santo Ofício, Tribunal da Inquisição, instituído no reinado de D. João III.

In: http://estoriasdahistoria12.blogspot.pt/2016/03/31-de-marco-de-1821-as-cortes-gerais.html
Auto de fé

Auto de fé no Terreiro do Paço em Lisboa

João III negociou vários anos a instituição do Tribunal do Santo Ofício em Portugal. Em 1532 viu os seus intentos satisfeitos pelo papa Clemente VII que lho concedeu pela bula Cum ad nihil magis, de 17 de Dezembro, na qual nomeava inquisidor D. Fr. Diogo da Silva. A reacção e protestos dos cristãos novos fizeram com que o mesmo pontífice revogasse aquela bula pela Sempiterno Regi, de 7 de Abril de 1533. Perante o desaire, o soberano não desistiu e moveu influências. Paulo III, que sucedera a Clemente VII, respondeu com o breve Inter coetera ad nostrum, de 17 de Março de 1535, aconselhando o monarca a seguir as regras da piedade e não as da vingança e mandou executar o perdão concedido pelo seu antecessor. D. João III travou em Roma uma luta cara, a que não foram alheias as intrigas e subornos, conseguindo que o mesmo papa Paulo III instituísse em Portugal o Tribunal do Santo Ofício pela bula Cum ad nihil magis, de 23 de Maio de 1536. Dirigida aos bispos de Ceuta, de Coimbra e de Lamego, nomeava-os seus comissários e inquisidores em Portugal para procederem contra os cristãos novos e contra todos os culpados em crime de heresia. Em 1539 D. Diogo da Silva renunciou ao cargo de inquisidor-mor e D. João III nomeou seu irmão, o infante D. Henrique, arcebispo de Braga e futuro cardeal. Essa nomeação não foi bem aceite por Paulo III que, todavia, acabou por lhe conceder os poderes antes dados aos inquisidores. Estava definitivamente instituída a Inquisição em Portugal nos moldes ambicionados pelo rei Piedoso. Tribunal simultaneamente régio e eclesiástico, inseria-se na política de centralização do poder. A sua criação e os seus membros estavam ligados à Igreja, mas todo o funcionamento era superiormente controlado pelo rei, desde a nomeação dos inquisidores-gerais, que despachavam directamente com o monarca, até à execução das penas de morte, para o que os condenados eram entregues ao braço secular.

Continue a ler (Continue reading)→

816º Aniversário da cidade da Guarda – Conferências da Guarda “Diálogos e conflitos” Judeus e cristãos em terras da Beira

816_aniversario_cartaz_final

No âmbito das Comemorações do Dia da Cidade, o Município da Guarda vai levar a efeito um conjunto de iniciativas cujo mote é o legado judaico e a sua importância para a construção da identidade nacional.

Continue a ler (Continue reading)→

Judeus e Portugueses: Um passado comum para construir um futuro mais brilhante

novo-1

Pedro Vargas David
Ashley Perry
  • In: http://observador.pt/opiniao/judeus-e-portugueses-um-passado-comum-para-construir-um-futuro-mais-brilhante/
  • 30/10/2015, 22:33
  • Os povos judeu e português não partilham somente uma longa história comum, pois ainda hoje cerca de 20-25% do povo português tem ascendência sefardita judaica.

Continue a ler (Continue reading)→

1 de Outubro de 2015 (יח תשרי ה׳תשע״ו) – DIA HISTÓRICO PARA A POPULAÇÃO JUDIA PORTUGUESA

In: http://www.cm-cascais.pt/noticia/dia-historico-para-comunidade-judaica-de-cascais?page=1

dsc_0071a

O Rabino Eli Rosenfeld com Carlos Carreiras, Presidente da Câmara de Cascais. Clique na imagem para ler…

Nesta data muito feliz para a Comunidade Judaica Portuguesa, congratulamo-nos com todos quantos apoiaram o Rabino Eli Rosenfeld na obra grandiosa que se traduziu na conclusão da escrita da Torah em Portugal. Ao Rabino Eli Rosenfeld e ao Rabino Yaakov Abergel que foi o seu “Sofer”, a Direcção da Associação de Amizade Portugal-Israel apresenta o seu mais profundo reconhecimento e felicita-os bem como às suas famílias pela grandiosa Obra por eles realizadas e que constitui motivo de orgulho para todos os Judeus portugueses, pois, que se conheça desde 1496, nenhuma outra Torah foi manuscrita em Portugal.

Em Terras de Vimioso: Argoselo

Documentário sobre a aldeia de Argoselo, no concelho de Vimioso, distrito de Bragança. Com origens judaicas, a agricultura, os cortumes e a exploração mineira de volfrâmio são as actividades principais da população. O quotidiano dos seus habitantes e a emigração para França. Os usos e costumes locais que constituem o seu património e identidade cultural: as festas religiosas, os jogos e os cantares populares.

Clique na imagem para ver…

In: http://www.rtp.pt/arquivo/index.php?article=1621&tm=26&visual=4

Ossos de antiga prisão de Évora dão voz às vítimas da Inquisição

CATARINA ROCHA

In: http://www.publico.pt/ciencia/noticia/ossos-de-antiga-prisao-de-evora-dao-voz-as-vitimas-da-inquisicao-1707196

Atiraram-nos para o lixo, sem qualquer respeito pelos corpos já sem vida. É o que contam os esqueletos de homens e mulheres presos pelo Tribunal do Santo Ofício de Évora. Tinham problemas nos dentes e nas articulações – mas a tortura a que eram submetidos não ficou registada no esqueleto.

 

1

Esqueleto encontrado no “quintal da limpeza dos cárceres” do Tribunal da Inquisição de Évora. DR

Continue a ler (Continue reading)→

OS JUDEUS EM TRÁS-OS-MONTES

Por: António Pimenta de Castro (1)
In: http://lelodemoncorvo.blogspot.pt/2012/01/os-judeus-em-tras-os-montespor-antonio.html
DSC_0286

Tia Olívia Tabaco

Dedico este meu artigo à Tia Olívia Tabaco (2) , possivelmente a última rezadeira (3) judaica de Vilarinho dos Galegos(concelho de Mogadouro), a quem vi acender as “candeias do Senhor”, às sextas-feiras à noite, com torcidas “rezadas”, na velha cozinha da sua modesta casa, “pintada” com as negras cores da lareira, de muitos e rigorosos Invernos nordestinos e que me ensinou muitas tradições do seu povo e rezas ao seu Adonai.

Continue a ler (Continue reading)→

Património e História – Os judeus em Silves na Idade Média

Autor: José Manuel Vargas

23/07/2012, 13:39

In: http://www.imprensaregional.com.pt/terra_ruiva/~media/downloads/1923.big.jpg

384935

Descoberto perto de Silves o vestígio judaico mais antigo da Península Ibérica

A recente descoberta, no concelho de Silves, de uma lápide epigrafada em hebraico, com datação provável do séc. IV, veio recolocar a questão da antiguidade da presença dos judeus no Algarve e em Silves, em particular, bem como da sua continuidade durante o domínio islâmico (sécs. VIII-XIII). Na ausência, por enquanto, de outras evidências arqueológicas ou documentais para esse período, torna-se oportuno fazer uma breve síntese do estado actual do conhecimento sobre a comunidade judaica de Silves nos séculos XIII a XV, ou seja, desde a conquista cristã do Algarve, no reinado de D. Afonso III, até à expulsão dos judeus, no reinado de D. Manuel I.

Continue a ler (Continue reading)→

Lançamento do livro “Queimar Vieira em estátua” na Cátedra de Estudos Sefarditas “Alberto Benveniste”

convite

Clique na imagem para ampliar…

Vai ser apresentado na Cátedra “Alberto Benveniste”, da Faculdade de Letras de Lisboa, no próximo dia 26 de Maio, no Anfiteatro IV daquela Faculdade, o livro “Queimar Vieira em estátua”, da autoria do Professor Doutor Herman Prins Salomon, A Apresentação estará a cargo do Professor Doutor Joaquim Romero de Magalhães.