Rabi Eli Rosenfeld – Parashat “Miketz/Chanukah” – Chabad Portugal

Mikeitz – Chanukah

Chanukah Cascais Video

Mais vale tarde do que nunca

Na parasha desta semana lemos que José é convocado da prisão para se apresentar perante o Faraó.

Anteriormente, enquanto estava falsamente aprisionado, José interpreta corretamente o sonho do mordomo do Faraó. Depois de este ter assegurado a José que intercedereia perante o Faraó a seu favor, imediatamente se esquece e nada faz.Finalmente, depois de anos de silêncio, o mordomo finalmente fala. “Então o mordomo falou diante de Faraó.” (Genesis 41:9) referindo ao Faraó as qualidades únicas de José.

Na sua análise da seqüência de eventos, o Rabino Abraão Sabá, autor do Tzror Hamor, usa a seguinte linguagem.

“Enquanto que é certo que ele (o mordomo) deveria ter falado (em nome de José) há dois anos, ainda assim … é melhor tarde do que nunca.”

“Mais vale tarde do que nunca.” Este provérbio tem raízes em muitas culturas e diferentes línguas, mas para o povo judaico e na língua hebraica, o Rabino Sabá tem o crédito de ter introduzido este ditado.

A mensagem destas palavras é especialmente pertinente hoje, ao chegarmos aos dias finais de Chanucá. Se ainda não tivemos a oportunidade de interiorizar a mensagem das luzes de Chanucá, nunca é tarde demais.

Ao acendermos as velas por mais duas noites, vamos garantir que fazemos uma pausa para meditar na mensagem dessas luzes. Lembrando-nos das nossas luzes mais verdadeiras e mais brilhantes, o cumprimento de nossa Torá e das Mitzvot.

Mais vale tarde do que nunca!

Shabat Shalom e Chanucá Sameach!

Rabino Eli Rosenfeld
chabadportugal.com

 

A história do Judaísmo em Portugal é uma fina tapeçaria rica em desafios e sucessos ao longo de tempos imemoriais. As terras portuguesas produziram e acolheram alguns dos nossos maiores Rabinos e líderes. Desde o estadista, líder, e sábio, Rabino Dom Yitzchak Abarbanel até ao autor do Shulchan Aruch, o Rabino Yosef Karo no século dezasseis até mais recentemente ao tempo que passou em Lisboa em 1941 o Grande Rabino de Lubavitch, o solo Portugal foi testemunha de importantes contribuições para o reforço das comunidades Judaicas e da sua compreensão e aderência à Torah.

É em reconhecimento da natureza imorredoira destas contribuições e em honra de todos os Judeus que ao longo de tempos de glória e deescuridão residiram em Portugal, que estes comentários da autoria dos grandes Rabinos de Portugal vos são aqui apresentados – aqui em Portugal.

Um agradecimento especial ao Rabino Shlomo Pereira pela tradução deste texto para português.

Shabat Shalom e Chanucá Sameach!