Rabino Eli Rosenfeld – Parashat “Vayikra” – Chabad Portugal

Vayikra

Esta semana vamos começar um novo livro da Torá, “Sefer Vayikra” o Livro de Levítico. A parsha começa com D-us a chamar Moisés e instruindo-o: “Fala aos filhos de Israel, e diz-lhes …” (Vayikra 1:2) O versículo em seguida, continua listando as leis referents às oferendas que seriam colocadas no Altar.

Dom Abarbanel pergunta-se sobre as razões pelas quais estas instruções foram dirigidas ao povo judeu em geral.

A responsabilidade em garantir que todas as leis fossem cumpridas, em última análise, pertencia aos Cohanim, os sacerdotes, encarregados da execução do serviço no Templo.

Além disso, encontramos muitos exemplos no Livro de Vayikra (por exemplo, no início da parsha da próxima semana) que os beneficiários diretos de uma lei são os que estão encarregados da sua implementação.

Por é então que D-us disse a Moisés para se dirigir a todo o povo judeu?

Dom Abarbanel oferece uma belíssima explicação. Embora seja verdade que, em muitos casos, as directivas de D-us foram transmitidas inicialmente para as pessoas encarregadas directamente do seu cumprimento, este caso concreto é diferente.

O Livro de Shemot, acaba de concluir. Acabamos de ler em grande detalhe sobre o trabalho incansável e a paixão exibido por todo o povo judeu na construção do Tabernáculo.

O objetivo final foi, naturalmente, o de construir e criar um espaço para D-us, um espaço feito e construído para com a intenção de promover o relacionamento com D-us.

É por essa razão, diz Dom Abarbanel, que D-us escolheu que estas primeiras instruções fossem dirigidas a toda a nação.

Foi com o propósito de aprender e estudar a Torá, que o Povo Judeu investiu sua energia e capacidade na construção do Tabernáculo. D-us com estas palavras a Moisés “Fala aos filhos de Israel”, quis reconhecer e honrar esse compromisso. (2015)

Shabat Shalom!


Rabino Eli Rosenfeld
chabadportugal.com


A história do Judaísmo em Portugal é uma fina tapeçaria rica em desafios e sucessos ao longo de tempos imemoriais. As terras portuguesas produziram e acolheram alguns dos nossos maiores Rabinos e líderes. Desde o estadista, líder, e sábio, Rabino Dom Yitzchak Abarbanel até ao autor do Shulchan Aruch, o Rabino Yosef Karo no século dezasseis até mais recentemente ao tempo que passou em Lisboa em 1941 o Grande Rabino de Lubavitch, o solo Portugal foi testemunha de importantes contribuições para o reforço das comunidades Judaicas e da sua compreensão e aderência à Torah.
É em reconhecimento da natureza imorredoira destas contribuições e em honra de todos os Judeus que ao longo de tempos de glória e deescuridão residiram em Portugal, que estes comentários da autoria dos grandes Rabinos de Portugal vos são aqui apresentados – aqui em Portugal.
Um agradecimento especial ao Rabino Shlomo Pereira pela tradução deste texto para português.