Rabi Eli Rosenfeld – Parashat “Tzaria-Metzora” – Chabad Portugal

Tazria – Metzora

Qual é a semelhança entre Lashon Hara (difamação maliciosa e mexerico) e uma dor de dente?

Famosamente, o Talmúde atribui o Tzara’at, (aflição da lepra) descrito na nossa Parsha como sendo provocado por falar negativamente.

O Rabino Avraham Sabá no seu comentário o Tzror Hamor, elabora sobre esta conexão e ao tal fazer ilustra a gravidade deste tipo de conversa.

Ao diagnosticar uma doença convencional, a primeira coisa que precisa ser avaliada é a gravidade da doença. Muitas vezes, diz o Rabino Sabá pode haver um desconforto persistente que não é tratado porque não é considerado ser de gravidade. Isto, embora uma doença clara e aparente com um alto grau de perigo, geralmente seja tratada imediatamente. A ligeireza com que nos apercebemos de uma dor de dentes leva muitas vezes a ignorá-la, o que pode trazer graves cinsequencias prazo.

A Lashon Hara, diz o Rabino Sabá, é muitas vezes vista desta forma ligeira, o que a torna ainda mais perigosa. Como uma dor de dentes, Lashon Hara é muitas vezes ignorada até que apodrece. Esta abordagem torna seu efeito mais grave do que outras doenças muitas vezes impedindo o seu tratamento, e no nosso caso o arrependimento.

Na verdade, diz o Rabino Sabá, a Lashon Hara não é sério, apenas porque é tratado de ânimo leve, mas também devido ao efeito de tal discurso em si mesmo.

Quem esteja à vontade para falar negativamente contra o seu semelhante, está apenas à distância de algumas palavras de falar negativamente sobre D-us. Como falamos é muito importante e de grande relevância. E esta é uma lição que a Torá quer que sempre esteja presente na nossa memória.

Shabat Shalom!

Rabino Eli Rosenfeld
chabadportugal.com


A história do Judaísmo em Portugal é uma fina tapeçaria rica em desafios e sucessos ao longo de tempos imemoriais. As terras portuguesas produziram e acolheram alguns dos nossos maiores Rabinos e líderes. Desde o estadista, líder, e sábio, Rabino Dom Yitzchak Abarbanel até ao autor do Shulchan Aruch, o Rabino Yosef Karo no século dezasseis até mais recentemente ao tempo que passou em Lisboa em 1941 o Grande Rabino de Lubavitch, o solo Portugal foi testemunha de importantes contribuições para o reforço das comunidades Judaicas e da sua compreensão e aderência à Torah.

É em reconhecimento da natureza imorredoira destas contribuições e em honra de todos os Judeus que ao longo de tempos de glória e deescuridão residiram em Portugal, que estes comentários da autoria dos grandes Rabinos de Portugal vos são aqui apresentados – aqui em Portugal.

Um agradecimento especial ao Rabino Shlomo Pereira pela tradução deste texto para português.