Carta de agradecimento do Presidente da AAPI ao Deputado José Ribeiro e Castro pela entrada em vigor do Decreto-Lei nº 30-A/2015 de 27 de Fevereiro

Ribeiro_e_Castro-IMG_7500_copy

Excelentíssimo Senhor Deputado

Senhor Doutor José Ribeiro e Castro,

Agora que, o Decreto-Lei nº 30-A/2015 de 27 de Fevereiro, que concede a nacionalidade portuguesa aos descendentes dos Sefarditas portugueses forçados a abandonar Portugal, devido às perseguições movidas pela Inquisição, foi aprovado, não quero deixar de o felicitar pessoalmente, em nome de todos os meus colegas da Direcção, assim como de todos os sócios e amigos da Associação de Amizade Portugal-Israel pela sua acção que como Deputado foi fundamental no apoio incondicional que, desde o início dedicou ao presente processo, o que permitiu que esta Lei tão justa e reparadora de uma situação, cuja imagem e atitude cobria de vergonha todo Portugal, chegasse a bom termo.

Consigo e com a entrada em vigor desta Lei, Portugal engrandeceu-se aos olhos do mundo, não só por ter sido o primeiro país onde se começou a desencadear todo o processo que iria dar corpo ao presente Decreto-Lei, mas, também, porque o mesmo Decreto foi aprovado por unanimidade na Assembleia da República, tendo sido, por fim, Portugal o primeiro país a chamar a si os descendentes dos Judeus que, acossados pelas perseguições Inquisitoriais se viram forçados a sair da sua pátria como se de uma segunda fuga de Jerusalém se tratasse.

Bem haja por todo o seu empenho, esforço e dedicação. Bem haja, através de si, ao seu Grupo Parlamentar e a toda a Assembleia por ter votado unanimemente o presente Decreto-Lei.

Depois de, em Castelo de Vide, em 17 de Março de 1989, o então Presidente da República, Doutor Mário Soares ter pedido “perdão aos judeus pelas perseguições que sofreram em nossa terra”, este Decreto-Lei coroa um facto histórico, ético e humano que os Judeus nunca esquecerão.

Com os nossos melhores cumprimentos

O Presidente

António José Aguiló y Fuster Caria Mendes