Rabi Eli Rosenfeld – Cartas de Lisboa – Parashat “Chayei Sarah” – Chabad Portugal

1

Uma grande parte da parashá desta semana referencia uma personalidade bíblica única, Eliezer, o confiável ajudante de Abraão. A Eliezer foi dada a tarefa de garantir o futuro do Povo Judaico, incentivando a família de Rebeca, a futura esposa de Isaque, a permitir que deixassem Rebeca viajar e juntar-se a Isaque na Terra de Canaã.

Depois de ser convidado para a casa da família Rebeca, é oferecido a Eliezer algo para comer. Ele não aceita e oferece as seguintes palavras; “Eu sou um servo de Abraão.” (Bereshit 24:34)

Muitos comentaristas vêem uma ligação entre o não comer esta sua declaração. Explicam que, enquanto não tivesse completado a sua missão, Eliezer não quiz fazer nada mais, nem mesmo uma coisa tão simples como comer algo.

O Rabino Abraão Sabá, que viveu em Guimarães no final do Século XV, oferece uma outra interpretação deste episódio.

Embora muitos possam ver a aceitação de uma refeição como um simples protocolo, Eliezer viu isso de forma diferente. “Eu sou um servo de Abraão”, era uma declaração da orgulhosa identidade de Eliezer.

Qualquer coisa que representasse benefício pessoal, como se ele estivesse ganhando pessoalmente ao representar e agir em nome de Abraão, Eliezer de todo em todo não podia aceitar.

O seu único interesse era o cumprimento da sua missão. Mesmo uma forma ligeira de lisonja pessoal, era inaceitável para Eliezer, que se concentrava apenas na sua tarefa e não na sua pessoa.

Shabat Shalom!

Rabbi Eli Rosenfeld
chabadportugal.com


A história do Judaísmo em Portugal é uma fina tapeçaria rica em desafios e sucessos ao longo de tempos imemoriais. As terras portuguesas produziram e acolheram alguns dos nossos maiores Rabinos e líderes. Desde o estadista, líder, e sábio, Rabino Dom Yitzchak Abarbanel até ao autor do Shulchan Aruch, o Rabino Yosef Karo no século dezasseis até mais recentemente ao tempo que passou em Lisboa em 1941 o Grande Rabino de Lubavitch, o solo Portugal foi testemunha de importantes contribuições para o reforço das comunidades Judaicas e da sua compreensão e aderência à Torah.
É em reconhecimento da natureza imorredoira destas contribuições e em honra de todos os Judeus que ao longo de tempos de glória e deescuridão residiram em Portugal, que estes comentários da autoria dos grandes Rabinos de Portugal vos são aqui apresentados – aqui em Portugal.
Um agradecimento especial ao Rabino Shlomo Pereira pela tradução deste texto para português.